VOCÊ SE VESTE DE ACORDO COM SUA ESSÊNCIA?

Roupas refletem sua autoestimaSeu jeito de se vestir já sofreu alguma grande transformação em algum momento da sua vida? Talvez após você ter adotado novos hábitos, ou uma visão de mundo distinta? Isso é perfeitamente normal, e posso dizer que muitas vezes soa necessário essa reviravolta do interno refletir no externo.

Antes que o termo “moda” fosse diretamente associado à indústria de confecção de roupas e ao que está “em alta“, segundo a influência de estilistas e da mídia, a palavra era apenas um derivado do latim “modus“, que significa “modo“, “maneira” e “comportamento“. O que escolhemos pegar do cabide ou comprar na loja pode revelar mais do que nosso estado emocional e psíquico, mas também nossos reais valores e opções ideológicas. Assim, é muito interessante utilizarmos a análise sobre nosso estilo e opções de consumo como uma ferramenta de autoconhecimento. Cores, estilos, cortes, formas e enfeites dizem muito a seu respeito e deve ser levado em consideração. Lembrando que, como conselho próprio, a moda não deve fazer você e sim você fazer a SUA moda. Este “estilo” é algo que você já tem e carrega consigo.

Uma psicanalista chamada Juliana Genevieve, explicou que: “Existem dois âmbitos de escolha, um consciente e um inconsciente. Quando eu paro para pensar em que roupa eu vou usar e qual mensagem eu quero passar, isso sai da minha consciência, minha escolha racional. Se eu não penso no impacto que isso possa causar e simplesmente escolho por impulso, essa ação pode representar minha emoção daquele momento”. Ainda segundo Juliana Genevieve, construir nossa identidade própria (que é fruto das nossas vivências e experiências) é um sinal de maturidade e nos faz estar menos atrelados a estereótipos e tendências mercadológicas. “A questão do amadurecimento está relacionada a como eu me vejo, me percebo e estou para ser feliz. Quando você encontra essa essência, compõe sua identidade e ela se torna sua impressão digital”, explica.

Que tal aproveitarmos esse momento para fazermos mais algumas perguntas sobre nosso estilo pessoal? Pense sobre isso! Nossas escolhas de roupas têm tido sintonia com a pessoa que somos ou desejamos ser? Quais cores nos fazem mais feliz? Quais marcas (ou nem sempre precisa haver uma marca) nos trazem mais identificação e por quê?