RESENHA: A Escolha

Título: A Escolha
Título Original: The One
Editora: Seguinte
Autora: Kiera Cass
Páginas: 352
Ano: 2014

Sinopse:
No aguardado terceiro volume da série A Seleção, America já fez sua escolha, mas ainda há muitas outras em jogo. Com o fim do concurso cada vez mais próximo, e as ameaças rebeldes ao palácio ainda mais devastadoras, ela precisará lutar para alcançar o futuro que deseja. America era a candidata mais improvável da Seleção: se inscreveu por insistência da mãe e aceitou participar da competição só para se afastar de Aspen, um garoto que partira seu coração. Ao conhecer melhor o príncipe, porém, surgiu uma amizade que logo se transformou em algo mais. No entanto, toda vez que Maxon parecia estar certo de que escolheria America, algum obstáculo fazia os dois se afastarem. Um desses obstáculos era Aspen, que passou a ocupar o posto de guarda no palácio e estava decidido a reconquistar a namorada. Em encontros proibidos, ele a reconfortava em meio àquele mundo de luxos e rivalidades. Com essas idas e vindas, America perdeu um pouco de espaço no coração do príncipe, lugar que foi prontamente ocupado por outra concorrente. Para completar, o rei odiava America e a considerava a pior opção para o filho. Assim, tentava sabotar a relação dos dois, inventando mentiras e colocando a garota em prova a todo instante. Agora, para conseguir o que deseja, America precisa cortar os laços com Aspen, conquistar o povo de Illéa e conseguir novos aliados políticos. Mas tudo pode sair do controle quando ela começa a questionar o sistema de castas e a estratégia usada para lidar com os ataques rebeldes.


Resenha:
Romance, suspense, ação, mortes inesperadas e emoções à flor da pele – é simplesmente impossível não se render a esse desfecho!

“Eu o amava. Era incapaz de apontar precisamente o motivo de tanta certeza, mas soube na hora, com a mesma certeza com que sabia meu nome ou a cor do céu ou qualquer coisa escrita em um livro.”  – America Singer

O último volume de uma série sempre é arriscado. Para um autor deve ser complexo finalizar uma trama, mas para um leitor é ainda mais angustiante saber que nessas últimas páginas todos os seus questionamentos devem ser devidamente respondidos, ou não. Devo dizer que de longe este é o melhor livro da serie, levando em conta a dosagem certa que a autora sabiamente fez do inicio ao fim do livro.

Eram trinta e cinco garotas. Agora, restam apenas America, Celeste, Elise e Kriss, as quatro que chegaram mais longe, mas apenas uma será A ESCOLHIDA. America começa a voltar a ser a America de A SELEÇÃO, deixando ainda mais claro sua opinião e coragem, principalmente quando o assunto se voltava à politica. Neste livro Kiera Cass conseguiu firmar as personalidades dos personagens, trazendo vida novamente à alguns que anteriormente estavam apagados na serie.

O livro tem dois eventos relevantes acontecendo simultaneamente, o que acaba fazendo com que se misturem e interfiram um no outro. De um lado, temos todo o desenrolar da SELEÇÃO. Do outro, temos os rebeldes atacando e amedrontando o país. Rebeldes e romance, romance e rebeldes, de repente tudo vira uma coisa só. Sem querer, as atitudes de America em relação ao problema político influenciam diretamente nos sentimentos do príncipe Maxon, mas também alimenta ainda mais o ódio que o rei sente pela garota.

assinatura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *